Situação de vulnerabilidade de risco

A vulnerabilidade não é uma essência ou algo inerente a algumas pessoas e grupos, mas diz respeito a determinadas condições e circunstâncias, que podem ser minimizadas ou revertidas. 
 
Ao longo do século XX, esse termo foi amplamente usado em resoluções, leis e tratativas para designar grupos ou indivíduos, jurídica ou politicamente fragilizados, que necessitavam ter seus direitos preservados e respeitada a sua integridade moral, a autonomia e a dignidade humana. 
 
Vulnerabilidade é o resultado de interações complexas entre riscos discretos que resultam em ameaças que crescem e se materializam ao longo do tempo, aliada à ausência de defesas ou recursos para lidar com desfecho negativo dessa ameaça. 
 
Alguns fatores de riscos tornam crianças, jovens e idosos especialmente mais vulneráveis e são normalmente provocados a partir de situações de ordem ambiental, político e social, tais como: 
 
Quanto às crianças e jovens as situações mais comuns são:
  • Desestruturação familiar;
  • Abandono familiar;
  • Abuso emocional;
  • Abuso sexual;
  • Iniciação sexual precoce;
  • Agressões físicas;
  • Uso de drogas;
  • Degradação social;
  • Trabalho infantil;
 
Quanto aos idosos as situações mais comuns são:
  • Isolamento social;
  • Sentimento de improdutividade e ócio;
  • Perda de interação familiar;
  • Síndrome do ninho vazio;
  • Medo de envelhecer e da perda da capacidade funcional;
  • Baixa autoestima;
  • Perda de autonomia;
  • Perda do sentimento de dignidade humana;
  • Solidão e depressão.
Acreditamos que a promoção e fomento da participação ativa desses indivíduos em atividades socioculturais, de esporte, lazer, na doação de serviços voluntários e em ações de cidadania, sejam importantes instrumentos de integração social, na defesa desses indivíduos e contra a situação de vulnerabilidade e risco.
 
Este projeto propõe elaborar, apoiar e divulgar diversas ações a serem realizadas especialmente em praças públicas, focadas nas práticas de atividades sociais, esportivas, culturais e de responsabilidade social, em que o objetivo esteja atrelado as contribuições para a construção de novos conhecimentos e formação de atitudes e valores que reflitam no desenvolvimento integral e fortalecimento da sociedade, com foco na convivência social por meio da arte-cultura e esporte-lazer. 
 
Os projetos, independente da sua natureza, terão como resultado a melhoria da qualidade de vida através de atividades de esporte, recreação e lazer, atividades artísticas e culturais, capacitação e desenvolvimento sociocultural e socioambiental, de integração do indivíduo com a sociedade e com seu ambiente, promovendo um bem-estar geral desses indivíduos.
 
As atividades estarão divididas pela sua natureza em:
  • Projetos Socioambientais; 
  • Projetos Socioculturais;
  • Projetos de Integração Social;
  • Projetos de atividade física, recreação, esporte e lazer;
  • Cidadania.
As atividades serão inicialmente realizadas nas Praças Públicas Sentinela e Clarim, localizadas no bairro da Taquara, adotadas pela parceria Gonzalez Contabilidade e Colégio Baronesa.
 
As Praças de Jacarepaguá são espaços verdes públicos, que estão em estado de deterioração, abandono e ociosidade. Como espaço público, as Praças, desempenham importantes funções no ambiente urbano, entre elas a integração da comunidade, o exercício da cidadania e a melhoria da qualidade de vida desses indivíduos, função esta que tem sido desperdiçada pelo abandono e ociosidade das Praças.
 
E é neste sentimento que entra o projeto ‘JPA, Eu te amo! com a promoção de ações fixas e pontuais, fomentando e realizando essas interações que irão favorecer instituições e comunidade, tornando o bairro de Jacarepaguá em uma referência em Cidadania, Cultura e qualidade de vida na Zona Oeste e no Rio de Janeiro.
 

1- Trechos extraídos de trabalho acadêmico: Vulnerabilidade na velhice: definição e intervenções no campo da Gerontologia.